Mossoró/Porto Velho-RO: Km 5.000,00

    Foto: Ilustrativa
De forma resumida em princípio vamos falar de alguns pontos importantes do lugar por onde estivemos  em seguida os amigos em comum e para finalizar, não podíamos deixar de lado a política, os fatos marcantes comparando  e citando  escândalos da corrupção de ambos os lugares.

Pois bem, Eu e minha companheira (Ceição) estivemos recentemente mais precisamente em Abril/2013  visitando a cidade que decididamente tenho imensa admiração e satisfação pela não tão bela mas, aconchegante e de gente acolhedora Porto Velho-RO. Pegamos o vôo de Fortaleza-CE fazendo uma conexão em Brasília-DF, o pouso final na cidade de temperatura quente e abafada e umidade elevada foi ás 11:00 da noite.

No saguão do aeroporto Portovelhense meu velho  Amigo  que não falta adjetivos para qualificar um parceiro(os) de sempre Seu Manoel Guimarães e esposa  como combinado nos esperávamos,  com alegria fomos recebidos, os mesmos nos acolheu na sua Residência por duas semanas dia e noite para ser mais preciso. Os amigos a quem vos falo, apesar de que já estejam a 30 anos   erradicado na região Norte do país, é Mossoroense da gema com um detalhe é filho de Acreana D. Luíza que Deus o tenha em um bom lugar, nos conhecemos desde 1978-79 no tempo que moramos na Av: Alberto Maranhão próximo ao Colégio Dix Sept Rosado, período que estudamos no Colégio Municipal Joaquim Felício de Moura no Bairro: Bom Jardim, arricuído (expressão usada pelos peladeiros da época) por jogo de bola, batíamos uma pelota na quadra de salão sem cobertura sem nada, só no piso, até a exaustão (pela madrugada a dentro). Em 1982-83 levamos essa mania (vontade) de jogo de bola no auge do Colégio Estadual Abel Freire Coelho B: Nova Betânia, participamos de campeonato interclasse e dos Jern’s da época, fomos campeões e vice  alguns momento. Se não me falha a memória em 1983-84 depois da morte de seu pai Seu: Edmilson Rebouças, a família por vontade de sua mãe voltou às origens Amazônica, EU (narrador) de 1989-91 jovem ainda, com meus vinte e poucos anos, também morei naquela cidade, trabalhávamos de vendedor no comércio local, certa feita, a saudade bateu não resistindo a dor da Longitude, retornei a meu Mossoró terra do sal como é mais conhecida por lá, voltei aonde permaneço até hoje.   

Depois de mais  20 anos que lá estive Porto Velho mudou pouco ou quase nada, evidentemente que houve aumento populacional que gira em torno de 440 mil habitantes (IBGE) mas, como em Mossoró passamos por problemas semelhante e como também por todo o Brasil a estrutura da malha viária não acompanhou o desenvolvimento do ditador de lata (carros) assim, fazendo do trânsito ser caótico no horário de pico principalmente, percebe nas ruas são bastante sujas esburacadas devido as ocorrências das chuvas   que caem todos os dias no período invernoso e longo, no caso, o concerto  prometidos pelos dirigentes locais faz por demorar.     

Viajamos de carro próprio com direito a Travessia do Rio Madeira numa balsa lotada de automóveis inclusive carretas carregadas, ao todo rodamos mais de 1500 Km, pela região da Mata Amazônica a princípio fomos até Rio Branco-AC, por sinal é uma cidade que está bem arrumadinha e bem cuidada bonito de se ver gostei, esticamos até Cumbija na Bolívia, dormindo em hotelzinho barato para economizar dinheiro mesmo, posteriormente  fizemos uma volta danada  e em alguns momentos de receio (medo) das fortes chuvas nas estradas, buracos, lama e passagens pelas pontes estreitas, conseguimos com sacrifício chegar em Guajará-Mirim/Guayaramerim tb na fronteira Brasil/Bolívia, foi uma experiência incrível, para não esquecer jamais, só não foi melhor porque as mulheres teve problema de enjôo,  outro fator negativo foi que eu tive febre alta e precisei de atendimento médico num Hospital da Região não lembro mais do nome da cidade, a jovem médica brinca “não fala nada disso pra pessoas de sua região não “picada de mosquito” o povo já são cismados com nosso lugar, aí então vc chega lá com essa conversa, ninguém vai querer mais vir por essas bandas” risos.

É importante ressaltar as presenças constantes  de seus algozes. Anderson o gerente, Deivyson O garotão, Tatiane a eterna concurseira e de seu esposo Romero o intelectual.  Também nessa relação consta a presença marcante onde quer que estivéssemos do caro colega e parceiro de todas as horas o garimpeiro rico Zé Ratão.

Política

Nesse caso, não vejo diferença nas relações politiqueira na de lá nem na de cá, na verdade uma coisa pela a outra comparando os fatos corriqueiros de envolvidos na Corrupção tipo dos fatos que tomamos conhecimento sinto até arrepio na espinha, mais há até quem o diga que os de nossa região são melhores ou seja, roubam mais faz alguma coisa, “trabalham” é mesmo? É possível que seja verdade! Mais eu particularmente não acredito muito nessa hipótese, segundo os mesmos os nossos políticos rondoniense fazem o oposto ex: desviam quase toda verbas dos cofres públicos.

Rondônia: Quem não se lembram da Operação   8666 e Pau-Brasil.     A primeira operação, denominada 8666, teve início em meados de 2012. Um grupo de empresários, em conluio com políticos, alguns servidores e ex-servidores da Prefeitura Municipal de Guajará-Mirim/RO, vinha fraudando licitações, especialmente em relação às reformas do Posto de Saúde Carlos Chagas e da Creche Municipal, financiadas com recursos do Projeto PROINFÂNCIA, do Governo Federal. Entre os investigados, destacam-se, também, três policiais civis do estado, advogados, engenheiros, arquitetos e empresários. A outra operação, Pau-Brasil, revelou que alguns dos empresários envolvidos na Operação 8666 vinham também fraudando licitações realizadas pelo Instituto Nacional de Reforma Agrária -INCRA. As investigações desenvolvidas em parceria com a Controladoria Geral da União -CGU, descobriram fraudes em contratos de obras localizadas no Assentamento Pau-Brasil no município de Nova Mamoré/RO, com envolvimento de servidores públicos federais. Outro acontecimento ruim envolvendo políticos Rondoniense foi, O ex-presidente da Assembleia Valter Araujo foi apontado pelos investigadores como o chefe de um esquema de cobrança de propina de empresários que têm contratos com o governo do estado. O Fantástico da rede Globo de Televisão teve acesso exclusivo a escutas telefônicas e a vídeos que, segundo o Ministério Público, comprovam a roubalheira, também vários assessores próximo ao Prefeito Roberto Germano extavam envolvidos no esquema fraudulento inclusive, o próprio foi afastado do cargo. E ainda, as obras inacabadas sem fim como as dos viadutos de Porto Velho que permanece sem solução aplausível até o momento etc.

No RN, escândalo desse tipo é que não falta! Faltará papel se for o caso! Portanto. A folha de São Paulo mostrou que a atual Governadora,  quando  então Senadora Rosalba Ciarlini (DEM-RN) usou verba pública para pagar viagens de turismo para ela, marido, filhos, além de outros parentes, amigos, o advogado e a mulher do advogado, no país e no exterior.
Ela teria custeado passagens e estadia em hotéis. Em seu primeiro mandato, ela bancou essas despesas com recursos de sua cota aérea.
Os gastos, segundo a reportagem, somam R$ 160 mil em 240 viagens em menos de 300 dias.

O caso marcante  envolveu o hoje Presidente da Câmara Federal, o Deputado de 11 mandatos consecutivos Henrique Eduardo Alves que conforma denúncia veiculada na Folha, foi o escândalo da empresa de fachada Bonaci-Engenharia o caso consiste,  uma parte do dinheiro das emendas orçamentárias do líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), foi parar numa empresa de um assessor do gabinete do próprio deputado. A Folha identificou pelo menos três prefeituras do Rio Grande do Norte que contrataram a empresa do assessor de Henrique Alves nos últimos anos com recursos da cota do deputado no Orçamento da União, as chamadas "emendas parlamentares".Na época da contratação, os prefeitos dessas cidades eram do PMDB. Funcionou assim: o deputado escolheu o destino do dinheiro público, o governo federal liberou o recurso, que voltou para a empresa do assessor lotado no gabinete.

Operação Porto Seguro, Ministro é flagrado em ligação suspeita, O ministro da Previdência, Garibaldi Alves, é um dos flagrados pela Polícia Federal em grampos telefônicos da Operação Porto Seguro. No dia 23 de maio, Garibaldi conversou com Rubens Vieira, irmão de Paulo Vieira e um dos líderes da quadrilha. “Ministro, olha, nós conseguimos, tá? Eu tô providenciando a documentação, mas o voo vai ser liberado, pode programar a viagem”, diz Vieira.
Operação Sal Grosso, o Juiz da 3ª Vara Criminal de Mossoró, Cláudio Mendes Júnior, proferiu em 16/02/2012  a sentença contra os réus do processo que apura as irregularidades identificadas na citada Operação . Foram nove os condenados pelos crimes de peculato e corrupção passiva. São todos eles vereadores ex-vereadores da cidade de mossoró, nenhum dos condenados puxou cadeia até agora, lembrando que cabe recurso.

Operação sanguessuga, a PF deflagrou a Operação Sanguessuga para desarticular o esquema de fraudes em licitações na área de saúde. De acordo com a PF, a quadrilha negociava com assessores de parlamentares a liberação de emendas individuais ao Orçamento da União para que fossem destinadas a municípios específicos. Com recursos garantidos, o grupo - que também tinha um integrante ocupando cargo no Ministério da Saúde - manipulava a licitação e fraudava a concorrência valendo-se de empresas de fachada. Dessa maneira, os preços da licitação eram superfaturados, chegando a ser até 120% superiores aos valores de mercado. O "lucro" era distribuído entre os participantes do esquema. Dezenas de deputados foram acusados, entre os envolvidos estão os políticos pertenecentes a ala oposicionista da família Rosados de Mossoró. O Grupo ficou conhecido como a “máfia das ambulâncias” ou também “Máfia dos Sanguessugas”

E ainda, para que não caia no esquecimento de vez, pois outros irão com certeza surgir em breve, é de praxe: escândalos dos Precatórios do caso Ubarana e dos Desembargadores do TJRN.

Os escândalos envolvendo  Bandas de Forró com contratos festivos superfaturados para animar o Período Carnavalesco e as Festas Juninas em cidades do interior como: Macau, Guamaré, Mossoró etc.

Se por ventura fosse continuar diagnosticando os sucessivos escândalos daria para escrever um livro, mas vamos parar por hoje, tudo de mais na vida torna enfadonho.

A sociedade deve se organizar para que juntos tirar esses salafrários do poder. enquanto essa união não acontece e o roubo público persiste, o povo carente sofre calado e sem reação plausível. dizemos que "um povo que não não reivindica nada algo está errado".     

Por: Iram de Oliveira,  Técnico em Edificações, Geógrafo e Dirigente sindical mora em Mossoró-RN

Base de dados da pesquisa:
Newsrondonia.com.br de: 27.12.2012
Oalerta.com.br de: 19/12.2012
G1 globo.com de: 17.12.2011
Wikipédia
Jornal Tribuna do Norte
Blogdoskarlack.blogspot.com de 27.12.2012
Folha de São Paulo

  

Ver mais:


AN13
   
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...