Indagações sobre a educação pública do RN

Algumas indagações surgem quando começamos a refletir sobre o atual estado da educação pública no RN. Por que a educação potiguar se apresenta em situação tão trágica? Por falta de compromisso! Falta de compromisso dos governantes que ao longo de décadas estão desprestigiando qualquer projeto que por ventura viesse a ser benefício para as classes trabalhadoras. O abandono da educação estatal simboliza o apetite das classes dominantes pelo poder a qualquer custo. Povo sem educação é mais fácil de manipular.   Por: Fábio Alves Valentim                  

Estamos em greve sim! Não por falta de compromisso com a profissão que escolhemos! Escolhemos ser professor para mudar a realidade de nossa comunidade, e entendemos que a educação que se oferece não é a educação que queremos. Somos criticados por estamos em greve, todavia ninguém critica quando chega na escola e não tem aula porque o transporte escola quebrou mais uma vez, ninguém reclama quando chega na sala e quem vai dar aula de certa disciplina não é concursado e as vezes nem mesmo saiu dos bancos universitários. É simplesmente alguém do mais educação, que não tem qualificação técnica para estar em sala de aula.


Sobre a greve e possível corte de pontos dos professores em greve o STF determinou que deve ser aplicada a Lei 7.783, de 1989, ou seja só será permitido o corte de pontos e processo administrativo caso a greve seja considerada ilegal! Não é o caso de nossa greve. E mais: A lei garante o direito constitucional a greve de forma isonômica, assim tanto os professores estabilizados quanto os em estágio probatório tem seu direito assegurado pela Carta Mãe.

Pressões de gestores e de pessoas do Dired e Seec são movimentos ilegais e esses sim devem ser combatidos! Quero saber quem vai responder administrativamente e até judicialmente se nós professores precisarmos nos dirigir ao judiciário reivindicando nossos Direitos. Você assumi o risco gestor? Ou você chefe do Dired? Tenho certeza que os governantes não assumiram isso por ninguém!

Outra pergunta: Quando falta médico, o técnico de enfermagem pode fazer uma cirurgia como sendo médico? Claro que não! E porque qualquer um pode dar aula? Por isso é que não somos valorizados, por vermos esse tipo de coisa e nos calamos! O que se apresenta não é educação de qualidade, não é ao menos educação, é remendo! Remendo inclusive ao que tange a qualidade de vida do profissional!

Escolhemos sermos professores, não escolhemos sermos desrespeitados, não escolhemos ganhar pouco, não escolhemos que nossos direitos trabalhistas fosses usurpados por governantes que olham com desdém para quem luta por uma sociedade mais justa e consciente!
Por: Fabio Alves Valentim, Filósofo, educador e estudante de Direito/Facebook-Professor: Clemildo Alves


Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...