Tiradentes

A data de 21 de abril tem uma grande importância à história da Nação; nela se presta homenagem a Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, revolucionário de 1789 e que foi enforcado pela repressão portuguesa, no reinado de D. Maria I, a “Rainha Louca”. Para muitos historiadores, o caso de Tiradentes é relevante por ele ter participado de uma conspiração, junto com figuras proeminentes da vida econômica e cultural da sociedade mineira e que pretendiam realizar a independência do país, ou melhor, de Minas Gerais e capitanias vizinhas.
 Por: João Carlos J. Martinelli
A razão mais forte do movimento era a constatação da decadência em que se encontravam as finanças públicas e a política fiscal extorsiva do Governo português, ameaçadora de devassas e arbítrios para o recebimento de tributos. Os conspiradores tinham inúmeros planos: pretendiam criar um exército brasileiro, montarem indústrias e fundarem uma universidade. Fizeram até uma bandeira, com os dizeres, “LIBERDADE, AINDA QUE TARDIA”.

Com a delação do grupo por um de seus integrantes, Joaquim Silvério dos Reis, os bravos patriotas – poetas, magistrados, sacerdotes, advogados, militares – foram tidos como subversivos e condenados por tentarem livrar o Brasil do jugo português. Sofreram sérias sanções, como as deportações de José Álvares Manuel para Angola e Tomaz Antonio Gonzaga para Moçambique, constituindo-se na pior punição, no entanto, a que recaiu sobre Tiradentes: foi enforcado e seu corpo esquartejado.

Apesar dos atos inibitórios e repressivos dos portugueses, as idéias libertárias prosperaram, ganharam novos adeptos e se estenderam por quase todo o território nacional, até que em 1822 foi proclamada a independência do país.


O mártir da Inconfidência queria não somente libertar o País do domínio colonial, como alinhá-lo com as nações desenvolvidas do seu tempo. Tiradentes será sempre o profeta daquele Brasil com que sonham todos os brasileiros, não apenas uma nação livre e soberana, como uma sociedade capaz de construir-se a si mesma a partir de suas próprias forças.

Aproveitemos a data para uma reflexão: o Brasil necessita procurar a sua identidade, cultuar os seus heróis como Tiradentes e banir os inúmeros traidores que impedem o seu progresso, por interesses pessoais ou de grupos que ainda não admitem uma vida digna para todos e lutam contra o pleno Estado de Direito, tão almejado à consolidação da verdadeira democracia. Está mais do que na hora de separarmos o joio do trigo (ou os traidores dos heróis).

Blog luso-brasileiro: “PAZ”

Por: João Carlos José Martinelli é advogado, jornalista, escritor e professor universitário.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...