Á frente sempre

É incrível como e quanto o discurso mudou nos últimos anos, seja ele no campo econômico, político, social ou empresarial.
 Por: Paulo Araújo
Novos termos e idéias abundam como água torrencial em dias de chuva nos levam a reflexões e paixões pelos mais variados temas. Mas note que falar é fácil, mas fazer… Vamos ponderar agora sobre discursos que já mudaram, mas que a prática ainda continua sem dar aquele passinho, tão necessário, para frente…

Do discurso “Mundo Globalizado” para uma “Mentalidade Globalizada”. A conversa sobre globalização é antiga e pouco prática, o que interessa hoje é ter uma mentalidade globalizada. Quantas empresas realmente têm feito um esforço adicional para exportar seus produtos e abrir novos mercados? Por mais que governo e políticas atrapalhem, o discurso de globalização só vai ter um efeito positivo em sua empresa se você tiver mentalidade globalizada e estar aberto para um mundo novo cheio de possibilidades, instabilidades e riscos.

Do discurso “Profissional Talentoso” para uma “Equipe Talentosa”. A verdade é que ninguém faz nada sozinho e o sonho de encontrar um Super-Homem ou Mulher Maravilha que resolva todos os seus problemas pode não passar disto: um sonho. A cultura do “salvador da pátria” não é mais condizente com o nível de competitividade que temos de enfrentar. Hoje, o segredo é ter uma equipe talentosa, assim como uma orquestra afinada que ao ritmo de vários instrumentos executam lindas composições. Anote aí: não existe e nunca vai existir uma pessoa perfeita, mas pode vir a existir uma equipe perfeita para uma determinada situação.

Do discurso “Investir no Cliente” para uma “Desenvolver o Cliente”. Em minha concepção o cliente é seu maior patrimônio, afinal nossa empresa existe para oferecer algo a alguém. Como a concorrência é rápida em copiar inovações creio que o diferencial está em saber desenvolver o seu cliente. O cliente deve sentir que sua empresa é seu cúmplice. Sua empresa realmente contribui para o crescimento de seu cliente? Entenda as razões que o levam a comprar de você.

Do discurso “Empresas Burocratas” para “Empresas Felizes”. Passamos tempo demais em nosso trabalho daí a importância de criar um ambiente onde as pessoas gostem de estar e efetivamente queiram deixar lá uma parte de suas vidas. É preciso fazer pessoas comuns realizarem coisas extraordinárias, fazer com que se sintam úteis e indispensáveis e não o contrário. Simplificar, estabelecer e deixar claro os limites para decisão de cada nível hierárquico e estar aberto a adotar um novo modelo de gestão, onde o capital intelectual seja efetivamente utilizado para tornar a empresa mais eficiente.

Agora é apertar o passo e, de forma ágil e cooperativa, corrigir a rota rumo a uma nova mentalidade, que deve ser traduzida por novas ações. E assim, quem sabe, estar muitos passos a frente de seu concorrente e bem perto de uma nova realidade organizacional, que pode gerar muita prosperidade.

Por: Paulo Araújo é especialista em Inteligência em Vendas e Motivação de Talentos. Diretor da Clientar – Projetos de Inteligência em Vendas. Autor de “Paixão por Vender” – Editora EKO, entre outros livros. Site: www.pauloaraujo.com.br.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...