Pensando bem

Ás vezes fico pensando com meus botões o que fazer de construtivo com relação a minha pessoa e família,  com mais ou  menos meia vida em que me encontro hoje, enfim. Na realidade nem sempre fazemos o que gostaríamos que fosse feito e nem muito menos faz o que queríamos que realizasse, as ações propriamente dita, talvez esteja um pouco enrolado meu ponto de vista mais entendam que, na maioria das vezes,  fazemos, até para nossa sobrevivência na terra falo de realização profissional, tendemos para o que o mercado nos oferece de “melhor” mas não para “nós”, enfim.

Em quase toda a minha vida de gente gosto do hábito da leitura, e nesse ínterim traço algumas poucas linhas escrevendo, versos, letras, artigos etc. com o intuito de se divertir com as letras mesmo não sobrevivendo disso, haja vista que nesse lugar que não se valoriza a cultura dificilmente conseguiria viver da escrita, pois; Se ao contrário fosse e por que não! Poderia sim ser diferente mais não vem o caso.


Diante disso assumo neste humilde espaço que tenho até uma estória pronta em meu pensamento com começo meio e fim faltando, acreditamos que os detalhes o enredo e a coragem de passar para o papel que poderia até dar certo. Mas a verdade é que penso eu, para quê perder mais tempo 1, 2anos  ou mais  que isso, redigindo  algo que não teremos a certeza da publicação nesse fim de mundo de meu Deus, assim como já perdemos outros rabiscos com a esperança que um dia seria reconhecido por tal e nada acontece.


Para finalizar, mesmo sabendo que os corajosos são os que vencem a batalha, quem sabe, talvez, se não seria melhor viver como a maioria do povo do nosso Nordeste Brasileiro e também do resto do país, armar a rede e fazer como diz Zeca Pagodinho “deixar a vida nos levar” sem lá para onde, no nosso caso específico, pescar no rio de baixo poluído ou então na lagoa de paus que dizem, não sei ao certo a água é limpa, ou então, levantar-se e encarar algo mais como; estudar  para concorrer a  concurso público  que pague bem melhor do que esse cargo que já ocupo, assim como muitos se dedicam nesse sentido,  procurar abrir um negócio no mercado comercial, vender na feira, esperar a aposentadoria adquirir um terreno  plantar para comer daquilo que a terra possa nos dar digo do fruto do meu trabalho braçal etc. depois de tudo isso não me diga que eu não tentei, por hoje basta. Obrigado.

Por: Iram de Oliveira, Geógrafo
 
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...