Política do RN: como as pessoas pensam!

   Por: Iram de Oliveira
“Não tenho candidato, não vou votar em ninguém, não gosto de política”, é mais ou menos isso que escuto da boca de boa parte das pessoas leigas ao sistema político vigente. O problema é que quem não escolhe candidato se isenta do processo eleitoral e nesse caso também, será governado por aqueles que foram eleitos pela a “minoria” votante então... Evidentemente, posso até entender a razão do seu descrédito referente a política mais não aceito sua total abstenção sobre o pleito em si.

Pois bem, vamos diagnosticar algo que passa despercebido perante o povão; temos 5 candidatos a governadores do RN mais só se fala ou se conhece apena 2 deles da majoritária que são eles:  o candidato do acordão o “Sheik do sertão” o homem da mala preta cheio da grana o deputado copa do mundo que só aparece de 4 em 4 anos, de 11 mandatos consecutivos á 44 anos na Câmara com 5 projetos em benefício próprio Henrique Alves PMDB e o então vice Governador Robinson Farias PSD, os outros “coitados” não parecem muito, mais  considero que são candidatos bem conceituados no meio politiqueiro bom de conversa e “preparados” talvez mais até do que os de cima, em primeiro instante no caso de Robério Paulino PSOL é formado em Economia e tem doutorado em História Econômica e é Professor da UFRN, Araken Farias PSL é pós graduado em direito processual e Simone Dutra PSTU também têm curso superior em enfermagem.

Para finalizar, meu ponto de vista sobre a real situação política que vivenciamos diz respeito  a falta de conhecimento da população relacionado aos 3 últimos em detrimento dos 2 primeiros colocados nas pesquisa de intenção de voto, deva ser com certeza a separação do rico para o pobre que já começa aí. É fato que candidatos ricos viajam pelos quatros cantos do estado ou seja abrange, cativa, alicia, “compram” etc. Prefeitos, vereadores e cabos eleitorais na capital e interior do RN como também gastam quantias R$ em dinheiro exorbitantes com propaganda no rádio, TV e nas ruas, santinhos e tal. Enquanto que os candidatos menos recursados se limitam as andanças, conversas em repartições públicas e privadas na grande Natal, Mossoró e no  programa eleitoral caso que essa forma de fazer política minimizada em abordar o eleitor não conseguem fazer com que sua mensagem chegue ao conhecimento de todos os eleitores Norte-riograndense, assim fica difícil mudar.

Reforma politica já.   

Por: Iram de Oliveira, Geógrafo   
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...