Poder de liderar e de chefiar

Resultado de imagem para liderança fotosPor Osvaldo Matos de Melo Júnior*
As pessoas perguntam qual é a diferença entre um líder e um chefe. 
"O líder trabalha a descoberto, o chefe trabalha encapotado. O líder lidera, o chefe guia" - Franklin Roosevelt
"Um líder é um vendedor de esperança" - Napoleão Bonaparte
Líder - Pessoa que exerce influência sobre o comportamento, pensamento ou opinião dos outros.
Chefe - Pessoa que possui autoridade e poder para comandar os demais.
Usando as citações acima, inicio o meu texto tentando abrir as mentes e corações dos nossos governantes, que nem sempre são lideres natos, mas chefes impostos por grupos políticos, acordos e conjecturas diversas. Esses senhores que ocupam os cargos de comando e influência no nosso Brasil, deveriam ter, no mínimo, a noção e o respeito ao verdadeiro significado dessa pequena palavra (líder) para escolher os que vão comandar instituições que dependem 80% da gestão e uso da liderança.
Os grandes líderes da história da humanidade se destacaram não pelos cargos que exerciam, mas pela grande capacidade de motivar e gerir pessoas. Pelo poder de fazer com que seus liderados usassem o máximo do seu potencial em função de uma causa. Foi assim com Júlio César, Ghandi, Napoleão, Roosevelt, Martin Luther King, Lincoln, Vargas, Juscelino, Mandela, Confúcio, Sidarta Gautama, Anílbal, Espártaco, Zoroastro, Manes, Carlos Magno, Alexandre, Gengis Khan, Lutero, Churchill entre outros grandes nomes de diversos países e até da nossa cidade. Essas pessoas, no seu dia a dia, transformam problemas em soluções criativas, enfrentam dificuldades como obstáculo a ser vencido e possuem o poder de motivar os seus comandados e influenciar pessoas.
O maior líder de todos, conhecedor profundo da natureza e peculiaridades dos seus liderados, nasceu pobre em uma sociedade desigual onde dinheiro e poder politico decidiam quem iria viver ou morrer. Enfrentou impérios, contagiou multidões com ideias revolucionárias e utópicas e mesmo assim conquistou e motivou gerações e gerações que até hoje seguem ou tentam seguir os seus ensinamentos. Jesus Cristo é o nome dele, mesmo para os que não acreditam na sua divindade religiosa não podem discordar da sua força como líder mundial e do poder de mudar vidas das suas palavras e gestos.
Os cargos de escolha dos gestores eleitos, na maioria dos casos, são usados como barganha política. As pessoas escolhidas não têm a devida experiência, expertise e liderança naquela categoria profissional e repetem administrações falhas, desestimulantes e desestruturadas, levando os funcionários ao desencanto e desestimulo, terminando por empurrar goela abaixo do povo a total falta da eficácia dos trabalhos. 
O resultado disso sãos os números assombrosos e absurdos encontrados nos nossos municípios, estados e na união nos quesitos produtividade, competência, soluções e agilidade que matam, adoecem, acidentam e dificultam a vida das pessoas e o desenvolvimento do país. Ainda bem que muitos desses funcionários tem grande responsabilidade e vontade de servir e, mesmo contra todo o sistema que os puxam pra baixo, tentam fazer o melhor, muito mais pelo amor a profissão e ao próximo que ao dever.
A pergunta que não quer calar: Até quando nossos gestores vão continuar desrespeitando seu povo e os servidores nomeando gestores que, podem até ter belos currículos, mas não foram forjados no conhecimento e experiência específicos para cada caso, que não possuem liderança nata e inteligência criativa na gestão de crises, só encontrada em verdadeiros líderes e não em impostos por acordos políticos? Ou isso muda no Brasil ou isso vai continuar parando o Brasil. 
*Publicitário e Sociólogo
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...