Cunha quer delatar e ninguém quer ouvir

Resultado de imagem para cunha preso fotosEduardo Cunha está cortando um dobrado para fechar sua delação premiada com a Lava Jato. O ex-deputado até ofereceu um invejável calhamaço de revelações, com mais de 100 anexos. Mas o material foi recusado, já que não incluiu seus próprios crimes, como exigem os promotores federais. Sem isso, as chances de um acordo são nulas. E, sem a delação, as penas que aguardam o “Caranguejo” são do “padrão Sérgio Cabral”.
É ingenuidade imaginar que os muitos larápios alcançados pelas operações de combate à corrupção tenham se purificado. Como continuam sendo o que sempre foram, surgiu entre eles um “mercado” de compra e venda de delações. Figuras que já estão com a corda do Ministério Público no pescoço têm cobrado “apoio financeiro” de antigos cúmplices, alegando despesas com advogados e familiares. Um deputado com diversos crimes ainda não expostos analisa a proposta de pagar R$ 2 milhões a um “preso amigo” para não ser denunciado. A um senador, na mesma situação, a oferta foi de R$ 3 milhões.
ISTOÉ

A "modernização" defendida pelos ricos do Brasil

Resultado de imagem para trabalho desumanos fotosA queda de braço entre o grupo Riachuelo e o Ministério Público do Trabalho, numa polêmica que envolve uma multa de R$ 37,7 milhões, é um primeiro sinal do que pode ocorrer com mais frequência, passada a “modernização” trabalhista, como preferem chamar os defensores da causa. Cientes do descumprimento de direitos básicos, gigantes empresariais, como a Riachuelo, entram num confronto com a justiça, sob o argumento único da geração de emprego e renda. Mais que isso, invertem a lógica da situação colocando a justiça do trabalho como vilã da história. Em boa parte, contando com apoio do discurso da grande mídia e dos governos.

No cerne do trabalho do Ministério Público está a terceirização. Gigante especializada na produção de roupas, a Guararapes – indústria do grupo Riachuelo – ampliou a produção terceirizada, através do programa Pró-Sertão, tendo grande parte de seus produtos feitos em pequenas facções instaladas no Seridó potiguar. Sobre estas pequenas fábricas, o grupo exerce forte controle mas nenhuma responsabilidade com as pessoas empregadas por elas. É nisso que os procuradores enxergam uma das principais irregularidades.

Via: Chico Gregrorio

Denúncia

                                                               por Mário Tarcitano

Temer diz ser alvo de ilações

Resultado de imagem para michel temer fotosO presidente Michel Temer afirmou, hoje, ser alvo de "ilações e provas forjadas" ao comentar a nova denúncia oferecida contra ele pela Procuradoria Geral da República. Temer divulgou um vídeo nas redes sociais para falar sobre o assunto. Em outro trecho, ele também avaliou que a acusação busca "paralisar" o Brasil e "desestabilizar" o governo dele.
"Lançaram contra mim ilações, provas forjadas, denúncias ineptas produzidas em conluios com malfeitores. Mais recentemente, as mesmas mãos que tentaram tirar o país dos trilhos da recuperação e do crescimento voltam à carga. Repetem seu procedimento: vazam para a imprensa depoimentos mentirosos, sem base em fatos e nenhuma conexão com a verdade." – Michel Temer
O presidente foi denunciado ao Supremo Tribunal Federal na semana passada. A PGR o acusa de ter praticado os crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça. Mas o STF só poderá analisar a denúncia se a Câmara dos Deputados autorizar.
A acusação da PGR chegou à Câmara nesta quinta e a previsão do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é que a votação aconteça em outubro.


Na avaliação do presidente, há uma "marca da insensatez" contra ele, o que o deixa "indignado". Quando a denúncia foi oferecida, a Secretaria de Comunicação Social da Presidência divulgou uma nota com teor semelhante, na qual o Palácio do Planalto acusou o então procurador-geral, Rodrigo Janot, de atuar em uma "marcha irresponsável" contra o presidente. Na mesma nota, a Presidência da República afirmou que a acusação oferecida é "recheada de absurdos".


Há tá!
Via: Blog do Magno

Políticos do RN passa vergonha nacional

Resultado de imagem para robinson faria, henrique alves e josé agripino fotosVergonha para o Rio Grande do Norte!
Alguns políticos de Mossoró figuram nos maiores noticiários nacionais há alguns dias como personagens de reportagens sobre corrupção.
O líder das aparições em rede nacional é o ex-deputado Henrique Eduardo Alves, preso desde o mês de abril em decorrência da Operação Lava Jato.
Quem também aparece constantemente no noticiário nacional é o governador Robinson Faria. Ele é investigado por um grande esquema de desvio de dinheiro na Assembleia Legislativa e também figura entre os delatados na Operação Lava Jato.
Outros nomes bem conhecidos do eleitor potiguar também aparecem de vez em quando, como os senadores José Agripino Maia e Garibaldi Alves Filho, os deputados Fábio Faria e Felipe Maia, entre outros.
O último a ser destaque em rede nacional, com direito a chamada na Rede Globo, foi o deputado Disson Lisboa, que vai trabalhar com tornozeleira eletrônica. O absurdo foi mostrado na edição desta quarta-feira no programa Profissão Repórter.
Com informação do RNMAIS

Temer de novo na degola

Resultado de imagem para temer na degola fotosEu pessoalmente por falta de tempo de ver ou ler o noticiário não estou entendendo bem o que está acontecendo com o Temer nessa nova denúncia da PGR.

Então, mas o que sei realmente é que o Janot antes de sair impeachou o chefe da quadrilha. Onde o STF aceita por 10 votos a 1 essa deixa, em todo o caso jogando a batata quente para a Câmara acabar de impeachar o ladrão sanguinolento. 

Agora, ser julgado vai, não sabemos se vai ser condenado, por que na casa dos deputados o pessoal gosta de uma liberação de verbas (dinheiro vivo) sendo que, Temer poderá ser ou não se safá de mais essa denúncia. 

Mas, o tal Rodrigo Maia presidente da casa já não anda cheirando bem com o planalto e faz duras críticas a Michel em encontro com Renan Calheiros e outros desafetos do chefe do quadrilhão. 

Será que o homem quer ser presidente do Brasil? é bem provável.

Pois é.  

Temer diz que tá levando a culpa por associarem ele com correligionários delinquentes

POR JOSIAS DE SOUZA

Resultado de imagem para michel temer em entrevista fotos
Rodeado por correligionários denunciados —Moreira Franco e Eliseu Padilha— ou presos —Geddel Vieira Lima, Eduardo Cunha, Henrique Eduardo Alves e Rodrigo Rocha Loures— Michel Temer afirma estar levando a culpa por mera associação. Sem citar nomes, declarou:
“O que aconteceu comigo foi exatamente isso. Você é presidente da República, da Câmara, vice-presidente, presidente de um partido, você encontra pessoas que tiram fotos com você, recebe bilhetes, pessoas convivem com você, e aí praticam um ilícito qualquer, aí você também é delituoso. Isso está acontecendo com muita frequência no Brasil.”
As declarações de Temer foram feitas numa entrevista à Reuters, em Nova York, antes de voar de volta pra o Brasil. Tomado pelas palavras, o presidente parecia sentir-se como uma espécie de navio que abandona os ratos. Além de jogar os amigos ao mar, sustentou que a apuração dos crimes deve ser levada às últimas consequências: “Eu acho que devem ser apurados e apurados até o seu final. Verificar quem são realmente os praticantes de ilícitos e quem não são.”
Numa evidência de que o cinismo vai se tornando uma forma de patriotismo, Temer esqueceu o papel de coveiro de denúncias que desempenha na Câmara para declarar o seguinte: “Eu acho que a Justiça tem que continuar funcionamento no Brasil, como funciona, se não tira a credibilidade.”
Posicionou-se contra a ideia de anistiar criminosos: “Se a gente disser agora ‘nós vamos fazer uma anistia plena, geral e irrestrita para todos aqueles que eventualmente cometerem ilícitos’, isso tira a credibilidade institucional.”
Denunciado um par de vezes pela Procuradoria-Geral da República, Temer reduziu seus problemas a uma perseguição de seus rivais: “O que está acontecendo é isso: uma oposição radical. Ela leva às últimas consequências. Mas volto a dizer: essas coisas têm que ser apuradas e eu não me preocupo minimamente com isso.”
De volta a Brasília, Temer desperdiçará o grosso do seu tempo preocupando-se com a organização do funeral da nova denúncia que o Supremo Tribunal Federal decidiu enviar à Câmara. A exemplo do que fez com a acusação de corrupção passiva, o presidente deseja enterrar também os indícios de que pode ter formado uma organização criminosa. Fará qualquer coisa para impedir a apuração de fatos que seu gogó apreciaria ver investigados.
“As instituições estão funcionando regularmente. O Judiciário funciona regulamente, o Legislativo, o Ministério Público. Tanto que quando há essas afirmações elas são apuradas”, declarou.
Temer acrescentou: “Até no meu caso você sabe que há manifestações. Mas essa matéria está toda no Judiciário. Claro que eu digo aqui que são inverdades absolutas, com um certo desejo de que o Brasil está nessa ou aquela posição na corrupção. Mas o fato é que a corrupção está sendo combatida.”

Dodge e os poderes


                                                                       por Amarildo Lima
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...