Programa de Haddad explora denúncia de Fake News nas redes sociais contra o PT

Poder Online » Fernando HaddadA campanha de Fernando Haddad (PT) explorou no horário eleitoral gratuito na televisão desta sexta-feira (19) o esquema de propaganda ilegal pelo WhatsApp contra o PT revelado na véspera pela “Folha de S. Paulo”, e associou a denúncia a Jair Bolsonaro (PSL). O programa petista acusa a candidatura rival de ser bancada com “dinheiro sujo” de uma “organização criminosa”.
Segundo a Folha, empresários simpáticos a Bolsonaro compraram pacotes de disparos de mensagens contra o PT por WhatsApp. A candidatura de Bolsonaro afirma desconhecer a operação, cobra a apresentação de provas de que o candidato pediu apoio a empresários e diz que vai processar Haddad. Ontem, Bolsonaro xingou Haddad de “canalha” e “vagabundo”.
Como vem acontecendo nos programas eleitorais de Haddad e Bolsonaro, os ataques aos adversários não são feitos pela voz dos candidatos. No caso do programa do PT, uma apresentadora diz que um “escândalo” foi revelado.
“Uma organização criminosa que se utiliza de dinheiro sujo foi criada para espalhar notícias falsas pelo WhatsApp contra o PT e Fernando Haddad. O objetivo é claro: enganar o eleitor e fraudar as eleições”, diz a apresentadora.
O programa petista cita o suposto apoio de Luciano Hang, dono das lojas Havan, à operação. O empresário negou as acusações e disse estar sendo usado como “bode expiatório” contra Bolsonaro.
Como em 2014, comida “some” de prato
Ao fim do relato da denúncia, a apresentadora diz que “Bolsonaro é a cara da velha política”, em texto que associa o candidato do PSL a reformas aprovadas pelo governo de Michel Temer (MDB) e o critica pela proposta de ensino à distância para crianças.
Neste ponto, o programa de Haddad resgatou um expediente usado na campanha de 2014, mas em outro contexto: uma imagem que mostra comida “sumindo” de um prato.
Na campanha deste ano, a comida desaparecendo seria a merenda de crianças que ficariam sem comer por terem ensino à distância e, logo, não irem à escola.
Quatro anos atrás, na campanha de Dilma Rousseff (PT), a comida sumia dos pratos de uma família à mesa para ilustrar os supostos efeitos da independência do Banco Central, política defendida pela candidata Marina Silva, então no PSB. O PT defendia que a independência do Banco Central daria mais “poder aos banqueiros”.
No Datafolha desta quinta, feito a dez dias do segundo turno da eleição presidencial, Bolsonaro teve 59% dos votos válidos, contra 41% para Haddad.
A campanha de Haddad entrou com uma ação no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pedindo a investigação do financiamento da campanha de Bolsonaro. O WhatsApp também diz que investiga internamente o caso. 
Com informação do Clickpolítica

Hipocrisia

Os caras falam em patriotismo, defesa da família etc.

De repente vai votar em Bolsonaro, que quer vender o patrimônio público. 

Então, experimente vender o seu carro sua casa... pra torrar o dinheiro pra ver o que acontece com você depois, né assim que funciona as coisas lá em Brasília?

Família!

Além do mais, ele falou em rede nacional que usava o dinheiro do auxílio moradia para comer gente...

Sem mais

O mentiroso

                Bolsonaro Mentiroso
                                                                    por Vasqs

Bolsonaro está na frente das intenções de voto baseado na fraude, diz economista

FNE - Bresser-Pereira e seu projeto para tirar o Brasil do ..."Definitivamente não é razoável que um candidato se eleja com base na fraude, e nada seja feito para impedi-lo", diz o economista e ex-ministro Luiz Carlos Bresser-Pereira, membro do Conselho Editorial do 247, em referência à campanha ilegal de fake-news de Bolsonaro financiada por empresas contra Fernando Haddad; "Sim, meus amigos, o sr. Bolsonaro está à frente das intenções de voto com base na fraude"; historicamente ligado ao PSDB, Bresser-Pereira é um intelectual respeitado no Brasil e exterior.

Canadá liberou...

Diferentemente dos selvagens tupiniquins!

A Holanda, Uruguai e agora o Canadá entre outros países que já teria aderido a iniciativa, liberaram o uso da maconha para maiores de 18 anos.

Há... como deve ser bom viver num mundo civilizado.   

Fatos e fatores

Bolsonaro diz que, caso seja eleito para presidente, "não nomeará ninguém de esquerda para a PGR".

Tudo bem até aí 

"que prefere alguém NEUTRO, com pensamento de centro DIREITA!". 

Há, hahahahahahahaha

Fátima Bezerra segue liderando no RN

Fátima Bezerra lidera corrida ao Governo do Estado do RN
Pesquisa do instituto Seta de hoje, 17.10.

Votos válidos para o Governo do Rio Grande do Norte.

Fátima Bezerra – 56%

Carlos Eduardo Alves – 44%

Pesquisa registrada na justiça eleitoral sob números RN-00988/2018 e BR-08895/2018.

Bolsonaro pretende entregar o pré-sal totalmente para empresas estrangeiras

Sob o argumento de “zerar” o déficit público no primeiro ano de mandato, a mesma promessa oca do governo Temer, a equipe de Jair Bolsonaro articula um plano de liquidar de vez com o pré-sal entregando-o completamente às petroleiras internacionais. Um dos motos do golpe de Estado de 2015/16 foi o déficit público do governo Dilma, com promessas de que ele seria zerado imediatamente -e em 2017, o déficit foi de nada menos que R$ 124 bilhões, isso sem contar o dinheiro entregue aos bancos e rentistas como juros da dívida pública. O governo Temer iniciou a entrega do pré-sal sob o mesmo argumento, e o déficit continua onde estava.
              
Segundo as contas feitas em conjunto pela equipe de Temer e a de Bolsonaro, segundo o jornal Valor Econômico, apontam para uma arrecadação total de R$ 90 bilhões, sendo que R$ 60 bilhões irão para a União e outros R$ 30 bilhões para a Petrobras. Essa arrecadação não zera o déficit primário nem faz cócegas no monumental déficit da dívida pública federal, que chegou a R$ 3,55 trilhões em 2017 (endividamentos do governo dentro do Brasil e no exterior). O pagamento dos juros da dívida pública, entregue aos bancos e rentistas custou ao país mais de R$ 462 bilhões em 2017 (aqui).
Ou seja, os R$ 90 bilhões que a equipe de Temer/Bolsonaro pretende arrecadar com a entrega do pré-sal está longe de fazer frente ao déficit público e, sobretudo, ao pagamento de juros para os bancos e rentistas. O déficit primário estimado para 2019 está em R$ 139 bilhões e os juros da dívida pública podem custar algo perto de R$ 400 bilhões.
Qual o plano dos bolsonaristas? Vender o que for necessário do patrimônio do país -eles estimam em 1/3 das empresas estatais- se necessário aprofundar o teto de gastos sociais e atacar o funcionalismo público, eliminando ministérios, tirando o Estado de segmentos como saúde e educação, cortando salários e com programas de demissão em massa.
É o oposto do projeto de Fernando Haddad. Ele promete retomar o pré-sal, não irá privatizar estatais e quer retomar o equilíbrio fiscal gradualmente. Para isso, Haddad aposta em três condições: crescimento da atividade econômica, da renda e do emprego, que elevam a receita do governo federal.
Com informação do Clickpolitica
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...