Partidos mudam de sigla para enganar, de novo o povo

Resultado de imagem para farra dos politicos com dinheiro do povo fotosVirou moda mudar a sigla de partidos políticos de maneira que o PMDB volta a ser MDB, o PTN vira Podemos, o DEM ex-Arena e PFL também acena para mudança etc. 

Tudo para enganar de novo o eleitor (besta) os menos desavisados. 

Perguntar não ofende, vai ser melhor para o povo? mas é claro que não. 

Os políticos brasileiros tem uma forma obscura de fazer política, do é dando que se recebe ou seja, no toma lá dá cá. 

Tenho, eu pessoalmente absoluta convicção (é moda!!!) que os políticos irão ficar cada vez mais ricos e os pobres mais pra baixo do que já estão. 

Vá pra frente Brasil! 

O Senador José Agripino será interrogado em inquérito por suspeita de funcionários fantasmas em seu gabinete

Resultado de imagem para jose agripino fotosDa revista época – O presidente do DEM e senador José Agripino Maia (RN) é alvo de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) que apura crimes de peculato e lavagem de dinheiro. A suspeita é que Agripino tenha empregado funcionário fantasma em seu gabinete e que, em datas próximas ao dia do pagamento, a pessoa fez saques em espécie e depósitos na conta de um primo do parlamentar. Autor do pedido de investigação, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, propôs uma série de diligências à ministra Rosa Weber, relatora do caso, incluindo o interrogatório de Agripino. A defesa do senador recorreu à ministra para que o depoimento seja feito exclusivamente pela Polícia Federal. Rosa Weber indeferiu o pedido. “A oitiva do senador investigado pode ser efetivada tanto perante o órgão do Ministério Público quanto perante a autoridade policial”, afirmou em sua decisão.

Ilha de Vera Cruz

Temer quer terceirizar o fracasso de seu governo

Por Silvio Costa*
Resultado de imagem para silvio costa deputado fotosO presidente Michel Temer (PMDB) e seus ministros não estão falando a verdade ao Brasil. Em 29 de junho de 2016, o atual ministro do Planejamento, Diogo de Oliveira, declarou – em uma audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal – que havia recursos previstos no Orçamento da União para o aumento salarial dos servidores federais dos três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário, mais o Ministério Público Federal (MPF). O ministro disse, ainda, que o impacto financeiro já estava previsto para os anos de 2016, 2017, 2018 e 2019. Agora, de forma irresponsável, o governo tenta terceirizar a culpa da suspensão do reajuste.  Quer creditar o seu fracasso na gestão das contas públicas ao governo anterior.
Michel Temer não fala a verdade. O Brasil todo sabe que o principal discurso do golpe era o equilíbrio fiscal, o ajuste das contas públicas. É verdade que o déficit público aumentou no governo da presidente Dilma em função das desonerações promovidas com o objetivo de estimular o consumo e preservar o emprego em nosso País. Reconheço que o então ministro da Fazenda, Guido Mantega, exagerou na política de desoneração, porém, Michel Temer não fala a verdade ao Brasil.
A primeira medida econômica que Michel Temer e seus ministros tomaram, após o golpe, foi a elevação do déficit público para R$ 170 bilhões, e de forma leviana colocaram está conta nas costas do governo da presidente Dilma. O déficit previsto para o final de 2016 era de R$ 120 bilhões, mas em abril Temer e seu grupo deram o golpe e fizeram um incremento de R$ 50 bilhões, ou seja, elevaram o déficit para R$ 170 bilhões, visando a criar uma “gordura” para gastar. Fizeram uma farra com os recursos públicos para dizer ao mercado que tinham base parlamentar, e isto é história, não é “estória”. Basta consultar o Orçamento da União de 2016 para se constatar a verdade que tentam esconder do Brasil.
Portanto, como vice-líder da oposição na Câmara Federal não posso aceitar tamanho cinismo e afronta ao povo Brasileiro. Michel Temer e seu grupo diminuíram o valor do salário mínimo para 2018, quer congelar o salário dos servidores, reduziram as políticas de inclusão social e quer privatizar empresas estatais eficientes - como o Aeroporto de Congonhas -, entre outras decisões desastradas, para fazer um remendo nas contas do País, que enfrenta um déficit que eles aprofundaram. E, de forma cínica, Temer e sua turma querem colocar a responsabilidade por esse “pacote de maldades” na conta da presidente Dilma.
Não vamos aceitar esse cinismo. Queremos fazer um debate verdadeiro, civilizado e acima de tudo com respeito ao País. Para começar, esperamos que o presidente Temer fale a verdade pelo menos uma vez ao Brasil.


*Deputado e vice-líder da oposição na Câmara Federal

Fátima Bezerra pede liberação de emenda de bancada para o RN

Resultado de imagem para senadora fatima bezerra fotosDurante pronunciamento em plenário, a senadora Fátima Bezerra cobrou, nesta quinta-feira (17), a continuidade da Força Nacional de Segurança no Rio Grande do Norte e a liberação de duas emendas de bancada para o estado. 

As emendas foram apresentadas no Orçamento da União de 2017 e, até o presente momento, não houve liberação dos recursos por parte do governo federal. Os recursos serão destinados para aquisição de veículos e de equipamentos, além da implantação de um Sistema de videmonitoramento, na região metropolitana de Natal.
Hoje, às 15h, a bancada do Rio Grande do Norte estará reunida com o presidente Michel Temer, para tratar da crise de segurança do estado. Em função de compromissos já agendados, a senadora não vai estar presente na audiência.  “Em nome da população do Rio Grande do Norte, que vive, momentos dramáticos, momentos desesperados, do ponto de vista da violência que se agravou em Natal e em todo o Estado, eu desejo e espero que a audiência com o Presidente da República seja uma audiência produtiva, que não fique apenas em palavras, que não fique apenas em promessas”, disse.
“Fica aqui o apelo de que hoje, na audiência com a Bancada Federal do Rio Grande do Norte, o governo federal assegure a liberação dessas duas emendas destinadas à segurança pública, no valor de R$ 18 milhões. Esses recursos podem ser utilizados para estruturação e modernização das Polícia Civil e Polícia Militar, polícias técnica e científica, Corpo de Bombeiros Militar e guardas municipais, além da modernização do sistema segurança pública, de inteligência e de investigação”, completou.
Fátima lamentou ainda os altos índices de violência divulgados recentemente pelo OBVIO – Observatório da Violência Letal Intencional do RN. De 1º de janeiro até 13 de agosto de 2017, foram registradas foram 1.518 mortes violentas, um aumento de 25,6% em relação a 2016. “A população do estado está totalmente à mercê da bandidagem. Já se foi o tempo, por exemplo, que a gente ainda trafegava pelas estradas com uma certa segurança. Isso acabou! O cenário lá do Rio Grande do Norte é um cenário de guerra, um cenário desolador. E eu não estou dizendo aqui que isso é um problema só do Rio Grande do Norte. É um problema nacional”.
Fátima também colocou seu mandato a disposição da população e  adiantou que,  além da  buscar a liberação das emendas de 2017, articulará com a bancada a apresentação de novas emendas para a segurança, no Orçamento Geral da União de 2018, conclui.

Dívida Brasil: vai ter calote?

Resultado de imagem para fora temer fotos...Se o país nada fizer para mudar a maneira como arrecada e gasta, vai revisitar perigos que já havia superado, como o de que a dívida não seja paga. O Brasil viveu esse temor ao fim dos anos 1980 e, de fato, começou a década seguinte com o calote do governo Collor. Tudo terá que ser olhado agora com mais cuidado para o país sair da armadilha em que entrou. A recessão é uma das causas do déficit, mas não só. O superávit primário começou a ser dilapidado nos bons anos, em que houve crescimento com a criação de despesas que se eternizaram...

PHA
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...