Pobreza extrema (Favela do fio)


               
A pobreza pode ser entendida como a insuficiência de recursos necessários de acordo com os sentidos de ordem econômica, material, social e energético podendo o conceito de pobreza se diferenciar dependendo de qual perspectiva se atribua significados a ela. Sendo assim, as interpretações são variáveis dependendo da cultura de um povo para outro. O que significa dizer que ideias e conceitos mudam ao longo do tempo de acordo com as necessidades de cada sociedade e a apropriação feita de tais concepções. Assim, toda condição humana depende da maneira como é sentida e considerada por aqueles que a vivem e pelo meio em que vivem.¨(STOP POBREZA)

Mas, em geral a pobreza está relacionada à carência de recursos que são condições básicas para viver. No planeta existem hoje, aproximadamente, um bilhão e cem milhões de pessoas, cerca de um sexto da humanidade, vivendo com menos de um dólar por dia. ¨ O que significa isso? Que infelizmente mesmo com todo avanço tecnológico, vivemos num mundo desigual onde existem pessoas que trabalham por quase nada, enquanto outras morrem por falta de alimentos, de remédios, de frio e de cuidados, largadas a um abandono social cruel.

Pobres e miseráveis, exclusão social sem limites

Um exemplo de pobreza pode ser constatado in loco na Favela do Fio, Zona Leste de Mossoró-RN. Uma amiga que por motivos pessoais não podemos revelar o nome. A senhora vamos tratar-la assim,  que faz trabalho de evangelização de maneira voluntária no setor em questão nos relatou as condições desumanas daquela gente, humilde, carente de quase tudo e mais um pouco.
    
Pois bem, nossa amiga senhora nos falou, que as moradias são verdadeiras armadilhas para ratos e insetos de várias espécies que por ventura queiram ser alojados, menos para gente mais infelizmente é isso mesmo. Nesse caso as Casas são feitas de taipas que significa ser estruturas  armadas de troncos ou forquilhas de pau cruzadas com pequenas tábuas finas e amarradas com cipó ou pregos e as paredes são fechadas (reboco) de barro molhado, o chão é de barro batido e a cobertura deixa muito a desejar com os buracos na telha (quebrada) durante o dia entra claridade do Sol a noite lua e no inverno chuva água (goteiras) em todas, nas portas porque  janelas é caso raro não é possível fechar falta fechaduras apenas ferrolhos na maioria sendo fácil a invasão de marginais e de toda sorte de coisa ruim que vier e possa imaginar, detalhe é que todo o material de “construção” é doado pela vizinha ou colhido, achado nos entulhos.

As pessoas da localidade são alheias a todos os acontecimentos de uma sociedade de fato moderna, pela simples questão de quando jovens não freqüentam a escola, e muitos penetram cedo no submundo do crime, as meninas começam a se prostituir por motivo de sobrevivência ainda  adolescentes, sendo que os mais velhos (idosos) a maioria são alcoólatras, todas as gerações que tomamos por conhecer naquele lugar não há pespéctiva de melhora   alguma, o que vimos na realidade foi situações de abandono pessoas marginalizadas onde a única solução para muitos deles é o mundo das Drogas, venda, consumo e o repasse do produto indiscriminadamente pela Favela sem a presença das autoridades competente que faz vista grossa na maioria das vezes Ex: Maconha, Crack, Cachaça são as drogas mais comum pela favela.

A senhora evangélica nos relatou, não é costumes dos favelados se divertirem sendo que certa feita organizou com as colegas da Igreja um culto por lá para o horário marcado para ás 7:00 horas da noite mais ás 17:00 todos já estavam arrumadinhos e vestidos para o evento que se aproximava ou seja duas horas antes do pleito que significava uma novidades para os tais. Depois da movimentação evangélica foi servido um lanche preparado pelas irmãs e irmãos da Igreja,  com comidas variadas, Pão, torrada, bolo,  refrigerantes e cuscuz sendo que esse último foi doado a uma senhora que levou para casa o prato inteiro, soubemos depois que a mesma e sua família se alimentaram durante uma semana devido ser o único alimento que tinha em casa.

É por essas e outras que ficamos a cada dia mais desapontados com os tipos de Políticos que continuamos a  eleger na nossa cidade, que vez por outra mais precisamente no período eleitoral  andam de porta em porta com a cara mais deslavada prometendo de um tudo, sendo que após as eleições esquecem do que foi prometido para os pobres, o discurso é bem montado, e um só, mais tem funcionado, “vamos erradicar as favelas de Mossoró, pavimentar ruas e ruelas, construir mais escolas e creches, saúde, segurança e blá, bla , blá, blá... “ E sendo assim os nossos políticos profissionais que são, continuam a cada dia que se passa ostentado riqueza, e os pobres? sem casa, sem comida, sem moradia digna, sem assistência de nada. É  preciso mudar o discurso minha gente e fazer pelos menos o essencial.  Continuando da maneira que está tomando medidas paliativas não resolvendo as questões por completo, a pobreza marginalizada só tenderá a aumentar de forma que desonra toda a sociedade de Mossoró.



 
Detalhe de uma construção de Taipa.
Exemplo TÉCNICO de casa de taipa
É o barro armado com madeira. Consiste numa estrutura de ripas de madeira ou bambu, formando um gradeamento, cujos vazios são preenchidos com barro amassado.

Escrito por: Iram de Oliveira
Base de dados: Wikipédia/blog: Produção Marginal de: Nicolau Ponte Preta
 
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...